Compartilhar share

Amplanorte discute com os prefeitos novas energias, modelos de gestão e tecnologia na lavoura

Publicado em 28/09/2021 às 09:27 - Atualizado em 28/09/2021 às 09:38

Na quinta-feira, 23, realizou-se a 4° Assembleia Geral de Prefeitos do ano, envolvendo os membros do executivo dos municípios que compõem a região da Associação dos Municípios do Planalto Norte - Amplanorte.  A reunião aconteceu no auditório da associação.

Na ocasião foi apresentado aos prefeitos o Modelo de Excelência em Gestão das Transferências da União (MEG-TR). O modelo está fundamentado na Portaria nº 66, de 31 de março de 2017, e tem como objetivos contribuir com o aumento da maturidade de gestão e governança no âmbito dos órgãos que operam recursos oriundos das transferências da União e aprimorar a efetividade na entrega de valor público à sociedade brasileira.

Amplanorte prestará assessoria aos municípios da região durante todo processo de efetivação do MEG-TR, na etapa atual, a adesão deve ser realizada por municípios com mais de 50 mil habitantes. Na região da Amplanorte, os municípios de Mafra e Canoinhas se enquadram nesses parâmetros iniciais, mas a partir de 2022 os demais municípios também deverão entregar o modelo elaborado.

 

Confira as datas:

-50 mil habitantes: 30/09/2021

-15 mil a 50 mil: 30/03/2022

-Menores que 15 mil: 30/09/2022

“O executivo mafrense visualizou esta oportunidade de capacitar as suas equipes técnicas para aperfeiçoar os fluxos e as práticas, diagnosticando oportunidades e criando mecanismos para consolidar projetos, mas para isso é importante à participação do máximo de pessoas para que o modelo tenha êxito”, pontuou o prefeito de Mafra, Emerson Maas durante a reunião.

 

Energia renovável

Os prefeitos acompanharam a apresentação da empresa curitibana, Wind Sun - Energias Limpas, onde foram feitas simulações para os municípios de Irineópolis, Papanduva e Mafra com a possível implantação de usina(s) de geração de energia solar com tecnologia fotovoltaica, foi simulado a possível economia aos cofres públicos uma vez feita a implantação. Os estudos correrão ao longo do ano, está programada uma visita aos municípios que tenham essa iniciativa já em curso.

“A Amplanorte está sempre atenta às inovações e maneiras de proporcionar economia aos municípios, enfatizando a busca por novas tendências em energias renováveis, pois o Brasil vive uma crise hídrica e que no curto prazo não se apresenta nenhuma solução viável se não novas alternativas”, explicou o presidente da associação, Luiz Henrique Saliba.

Foi demonstrada a taxa de retorno, além de informações técnicas, devido a importância e complexidade do assunto, a pauta será retomada em reuniões futuras.

 

Tecnologia na lavoura

A preocupação com a obtenção de novas tecnologias para serem utilizadas na agricultura também foi pauta da reunião. Utilizando-se de um modelo aplicado na região serrana, conhecida pela produção de maçãs, os municípios se mostraram interessados em aplicar a tecnologia “Anti-granizo”, também na região.

Quando ocorre no período de formação, desenvolvimento e maturação dos frutos, o granizo pode ocasionar danos que depreciam completamente a fruta, que perde seu valor de mercado e precisa ser destinada à industrialização, causando perdas ao produtor. Na região do PLANALTO NORTE, que é grande produtora de tabaco e também de frutas essa tecnologia  pode ser muito eficaz.

Segundo informações da Defesa Civil de Santa Catarina, o sistema é formado por queimadores que lançam nas nuvens um composto químico com a capacidade de dissolver o granizo, diminuindo em até 70% a incidência do fenômeno, reduzindo o estrago causado nas superfícies atingidas. O gerador monitora as nuvens e lança os gases quando identifica a possibilidade de granizo. 

“É um sistema de custo elevado, mas que contribui com a produção agrícola, fazendo com que não ocorram grandes perdas com as chuvas de granizo”, destacou  o prefeito de Irineópolis, Lademir Arcari. Ele explica que para que todas as localidades de Irineópolis fiquem protegidas, é necessário que os municípios da região também implantem o sistema. “É um trabalho que precisa ser feito de forma regional para se tornar mais eficaz. Se apenas uma cidade fizer, algumas áreas no próprio município continuarão sem proteção”, avalia o prefeito.

“A agenda da Associação  tem prezado pela economia dos seus municípios, inovação e desenvolvimento econômico. O Brasil retoma o crescimento e nossa região deve estar atenta às oportunidades!”, conclui o presidente da Amplanorte, Luiz Henrique Saliba.

A Amplanorte seguirá trabalhando para defender e atender os interesses e demandas dos municípios da região. Para saber mais sobre os eventos e ações que acontecem na associação dos municípios do planalto norte, continue acompanhando as mídias da Amplanorte.

 

Acesse:  www.amplanorte.org.br/.